6 DICAS PARA VOCÊ TER SUCESSO COM EMPREENDEDORISMO






COMO EMPREENDER COMO SUCESSO: APRENDENDO ESTAS 6 DICAS DE EMPREENDEDORISMO







Nestes últimos tempos com a crise econômica e tantos problemas de emprego formal o empreendedorismo passou a crescer mais no Brasil e no mundo. Onde para manter o sustento pessoal e familiar as pessoas acabam criando novas estratégias de ganhos e até mesmo com a renda baixa criando uma nova renda extra, fazendo o que gosta ou então aprendendo novas atividades. 


Todas estas possibilidades juntas garantem a criação de novos empreendimentos. Também existe a juventude que ao sair de sua formação com o que aprende em uma universidade ou escola técnica acaba por optando por ser um empreendedor.

Mas para que isto se concretize e se torne um empreendedor de sucesso é necessário muito mais que a vontade de se formar um novo empreendimento. É importante ter acima de tudo uma atitude correta em relação ao negócio e ser determinado para alcançar o sucesso.



Sendo assim veremos abaixo as dicas que irá ajudar você a ser um empreendedor de sucesso.



1.  Tenha uma ideia ou sonho em mente:


Se você tem um sonho é uma das iniciativas mais importantes para ser um empreendedor, sendo assim faça sua ideia se tornar realidade, tenha em mente que precisa trabalhar muito e tenha foco, faça renúncias e busque o retorno esperado. Seja criativo e faça acontecer não procrastine e não tenha desânimo, sabendo que não tem um patrão você terá que trabalhar mais sem horário para começar e terminar.

2.  Defina Metas

Defina metas de trabalho mas realistas, meta de curto prazo, de médio e de longo prazo. Que sejam alcançáveis. Exemplo: Você é vendedor de salgados: Vou vender para esta semana 100 salgados. E faz uma regra de três simples para entender se você em uma semana vende 100 salgados quanto pode vender em um mês e depois em 6 e assim finaliza sua meta. Sendo atingível.

3.  Guarde dinheiro



Sim nem todo mundo pensa que para ser um empreendedor de sucesso precisa guardar dinheiro, mas precisa sim você fez a parte de cima definiu a meta e cumpriu, mas para você comprar mais mercadoria tem que ter o dinheiro então é um dos primeiros valores que tem que estar guardado, para um problema futuro tem que ter dinheiro, segundo motivo para guardar e por fim para ser rico tem que guardar dinheiro, este ponto parece ser até meio complicado, mas se você ler livros que falam sobre como ser rico, por exemplo, todos vão falar que você tem que guardar tem um que até diz: Pague a si mesmo 10% do seu salário (ganho) e a Deus 10% acho que é pai rico pai pobre o o homem mais rico da babilônia que tem esta frase. Por fim o que quero dizer que você tem que guardar pelo menos 10% de seus ganhos para emergências e somente vir a gastar algum valor depois que certificar que tem o dinheiro para continuar comprando mercadorias para as próximas metas.


4.  Assuma Riscos 


Tenha capacidade de assumir riscos, pois a partir do momento que aceitou a sair do emprego e ou iniciar um negócio sem dinheiro você já esta iniciando uma perspectiva de riscos, quando traçou as metas já é o risco de calcular para poder cumprir. Então assuma que este risco que está considerando é a sua única chance e vai fazer com que você invista tudo o que tem e que poderá dar certo e diminuir a possibilidade de um fracasso. 
Você assumindo os riscos tenha certeza que poderá ser um impacto em sua vida.


5.  Tenha Um Planejamento 


Para ter um negócio de sucesso  um dos pontos mais importantes é se planejar no momento que você traça as metas, tenha uma habilidade para planejar e prever problemas futuros que podem surgir então antecipe estes possíveis problemas sempre tendo um novo plano e pensando nas maneiras de resolver estes problemas que possam surgir e não afetar o seu negócio.


6.  Seja Organizado


Organização é muito importante nesta fase você precisa controlar suas entradas e saídas de dinheiro, não tomar atitudes precipitadas ter segurança no que vai fazer estar atento ao mercado e administrar o seu trabalho organizadamente ter livros de anotações do que vende e compra livro-caixa, procedimentos de contabilidade e livros pessoais de anotações como agendas por exemplo, não deixar tudo jogado, sua mesa de trabalho e sua empresa tem que ser sempre organizada.



Estas são as principais dicas que você pode aprender para seguir o caminho de ser um empreendedor de sucesso. Sabendo que empreender é uma opção promissora então crie estratégia e inicie o seu negócio sem medo procurando seguir as dicas descritas acima e para completar as dicas te darei mais uma de bônus se qualifique faça cursos o SEBRAE tem sempre cursos e apoio ao pequeno empreendedor fique atendo as datas de cursos em sua cidade e também faça pela internet acessando o site do SEBRAE para se qualificar. Lembrando o SEBRAE também faz empréstimos para te ajudar no seu negócio procure saber como.

3 PASSOS PARA ENTENDERMOS A IMPORTÂNCIA DA TERCEIRIZAÇÃO PARA O EMPREENDEDORISMO



A TERCEIRIZAÇÃO TEM CONTRIBUÍDO MUITO PARA ALAVANCAR O EMPREENDEDORISMO NO BRASIL. AGORA VOCÊ IRÁ CONHECER 3 PASSOS QUE AJUDOU PARA QUE ISTO POSSA ACONTECER!  





1. Uma nova ordem mundial – Abrindo portas para pequenas empresas


Diminuição de custos com terceirização


Até 1980, ninguém dava muita importância para empresas com menos de 100 funcionários. Só nas duas últimas décadas do século XX, quando as grandes empresas começaram a diminuir seus custos e o número de empregos, é que as micro  pequenas empresas começaram a crescer, fornecendo diversos produtos e serviços para as grandes.




Era o processo de terceirização, que se espalhou por todo o mundo, aumentando a importância dos pequenos negócios para a economia dos países.

No mesmo período, a evolução tecnológica encurtou a distância e  facilitou o acesso a informação. Hoje em poucos segundos, uma empresa da Tailândia, que fabrica rádios de pilha para a Índia, pode fazer um pedido de parafusos para uma empresa, no interior do Brasil.
Este processo de diminuição de distâncias e quebra de barreiras comerciais entre nações é chamado de globalização.

Foi mais ou menos isso que aconteceu no Brasil, na década de 1990, durante a abertura da economia. a entrada de produtos importados ajudou a controlar os preços, uma condição importante para o País. 

2. Uma nova ordem mundial – A internet


INICIO DA INTERNET NO BRASIL 


A partir de 1994 a Internet entrou em nossas vidas no Brasil e tornou-se o ambiente de relacionamento virtual que hoje usamos continuamente, com isto foi possível expandir a terceirização e também ampliou-se junto o outsourcing que mediante a internet sendo o mesmo a versão baseada na Internet da terceirização facilitou para o crescimento das empresas sendo de telemarketing, suportes e atendimento em geral este processo ocorre quando um departamento, ou mesmo toda uma área de trabalho, transfere tarefas e projetos para uma empresa subcontratada sendo esta grande ou pequena empresa. Assim ampliando a contração de mãos de obras e abrindo o caminho para novas empresas que se estabeleceram no mercado do empreendedorismo podendo criar seus negócios online para prestação de serviços. Sendo estes serviços prestados online.

Como podem estes serviços ser facilmente conseguidos através da internet, são principalmente serviços estes  de áreas das Tecnologias da Informação (TI) e de Marketing que são mais frequentemente transferidos para uma empresa subcontratada. Exemplos de tarefas assim realizadas podem ser a programação e web design, produção multimédia, suportes diversos entre outros. Com a terceirização, uma variante do outsourcing, as tarefas respectivas podem ser localizadas noutro país. Isso pode representar tarefas de negócio, ou mesmo processos de negócio, mas também pode-se ampliar no nosso pais criando assim novos negócios e empreendimentos.

Já com o Nearshoring, a Terceirização (ou Offshoring), dispõe também da sua própria variante. Enquanto o primeiro deslocaliza tarefas para um país em geral muito distante noutro continente, o último é, tal como o nome sugere, uma deslocalização mais perto de casa, ou então com o Homeshoring, em quanto variante do outsourcing, descreve a localização de serviços de terceiros que não são realizados por empresas, mas por particulares que trabalham em casa. Esta forma de trabalhar também é conhecida como Home-Office ou muitas vezes teletrabalho crescendo em nosso país tanto para empresas que contratam com CLT, ou então como free lance.

3. Uma nova ordem mundial – a lei


Reforma Trabalhista


Terceiro e último passo relacionado a esta nova era foi a aprovação de uma lei da reforma trabalhista no qual teve um enfase em terceirização deixando assim transparecer mais oportunidades para criação de novas empresas como empreendedor o micro e pequeno empresario.

Até a aprovação da Reforma Trabalhista em vigor desde 11/11/2017 a terceirização da mão-de-obra tinha regras muito rígidas e o Tribunal Superior do Trabalho sempre entendeu que a terceirização só era lícita se a tomadora do serviço contratasse a mão-de-obra terceirizada para a atividade-meio, tais como vigilância privada, recursos humanos, portaria, recepção, limpeza, etc. Já a terceirização da atividade-fim da empresa era considerada ilícita e trazia o vínculo empregatício do empregado terceirizado com a empresa contratante tomadora do serviço, porém, a mudança efetivada pela Reforma Trabalhista passou a regulamentar a prestação de serviços a terceiros pelas empresas e a Reforma Trabalhista sistematizou a terceirização no nosso pais. Logo, resultou superada a distinção entre atividades-fim e atividades-meio, ou seja, toda e qualquer atividade pode ser terceirizada. Ainda assim, entende-se que a intermediação de mão-de-obra não é admita, por resultar em fraude ao vínculo de emprego com o efetivo empregador (art. 9º da CLT) e em violação ao valor social do trabalho (art. 1º, inciso IV, da Constituição da República), o qual não pode ser tratado como mercadoria. Desse modo, a terceirização deve envolver a prestação de serviços e não o fornecimento de trabalhadores por meio de empresa interposta. Portanto, defende-se o entendimento de que os referidos serviços, na terceirização, devem ter certa especialidade.

Isso é confirmado pelo art. 5º-B da Lei 6.019/1974, incluído pela Lei 13.429/2017, no sentido de que o contrato de prestação de serviços deve conter: qualificação das partes; especificação do serviço a ser prestado; prazo para realização do serviço, quando for o caso; valor.

Cumprindo-se as regras da lei dentro de tudo que este proposto, você pode ser tanto pessoa física ou jurídica para prestação de serviços, porém para contratação tem que se entender melhor a lei para poder vir a contratar um terceirizado se faz necessário ser pessoa jurídica.

Agora que vemos uns dos três passos importantes na terceirização vemos que com isto hoje no Brasil nestas ultimas décadas existem várias modalidades de trabalho sendo muitas destas desenvolvida pela internet, onde uma empresa pode acessar de qualquer lugar, uma pagina de web e realizar procedimentos diversos como contabilidade, vendas, serviços de suportes, recursos humanos, divulgação de trabalhos por meio do marketing e publicações. Não somente estes trabalhos, mas estes são uns dos mais utilizados. Por isto nós vemos em toda a internet em uma pesquisa básica várias informações hoje trabalhe com marketing digital, crie seu negócio online e assim por diante, pois o que aqui se propõe que a partir do momento que você tenha ou não uma mercadoria ou serviço, você pode levar este para a internet através da divulgação podendo assim vender o seu produto para o mundo e não somente para a sua comunidade local. 

Lembrando que para isto, precisa-se de experiência pesquisa e conhecimento este conhecimento você pode já ter prévio, ou então estudar o Sebrae tem uma vasta plataforma EAD de cursos para quem quer ser empreendedor, e existe também uma plataforma na internet a hotmart que pode assim ajudar na criação do empreendedorismo online assim facilita hoje as oportunidades para os pequenos empreendedores que estão no início de suas prestações de serviços.



      
                                                                                                
                                                                                           


                                                                                         
                                                                                                                                                                                                    







A EDUCAÇÃO EMPREENDEDORA PARTE III


A EDUCAÇÃO EMPREENDEDORA  DESCRITA PELO SEBRAE




Para estar ainda mais perto de você, o SEBRAE abre uma nova porta para esse conhecimento: a educação a distância, que leva o SEBRAE até o seu negócio, seja ele qual for, e esteja aonde estiver. Por meio dos programas em vídeo, de um manual de participante, e cursos via internet, onde você vai entender melhor o funcionamento do seu negócio e as razões da maior parte das dificuldades que as empresas enfrentam.








Ampliar o suporte que o SEBRAE oferece ao empresário da micro e pequena empresa é uma forma de contribuir com o crescimento econômico do País. Nos últimos 20 anos o papel e a importância das micro e pequenas empresas, em todas as economias do mundo, não deixam dúvida: o futuro depende delas.





A educação a distância é uma das formas escolhidas pelo SEBRAE para cumprir a sua meta de estar cada vez mais perto do empreendedor, dando suporte e informações que possam ajudar o empresário da micro e pequena empresa a ter sucesso.  



Segue na próxima postagem:



A EDUCAÇÃO EMPRENDEDORA PARTE II


PARA O EMPREENDEDOR, APRENDER SIGNIFICA ADQUIRIR…






  • Conhecimento sobre o negócio;
  • Habilidade para montar, manter e desenvolver um empreendimento;
  • Atitude de quem sabe aonde quer chegar e se preocupa em fazer bem feito. 




“Aprender é reunir o conhecimento, a habilidade e a  atitude para fazer alguma coisa. Da mesma forma que um livro de receitas não pode garantir um bom almoço, não existe uma fórmula que possa garantir o sucesso de um empreendedor.”  
                                         

Você vai descobrir que não existe uma receita pronta para o sucesso; você precisa entrar na cozinha e colocar a mão na massa pra entender por que o um assado fica bom ou ruim. Se tiver que aprender sozinho, o caminho será mais longo e difícil; com a ajuda de um cozinheiro experiente, o resultado será mais rápido e as perdas bem menores.





É isso que propomos: colocar a mão na massa junto com você. Tudo para que você entenda o que funciona e como evitar problemas simples e comuns no dia-a-dia das empresas.



É preciso entender também COMO E POR QUÊ as coisas acontecem; quais os comportamentos e atitudes que aumentam suas chances de sucesso e  conhecer as ferramentas que vão lhe dar maior controle sobre os resultados.


É esse trabalho que o SEBRAE, Serviço de Apoio ás Micro e Pequenas Empresas, realiza em todo o País por meio de cursos, palestras, orientação e apoio ao empresário da micro e pequena empresa. Facilitando o acesso ao conhecimento, o SEBRAE contribui para melhorar os resultados e aumentar a possibilidade de sucesso de novos empreendimentos. Fonte: Aprender a empreender - SEBRAE.

                                                                         
Continua...






A EDUCAÇÃO EMPREENDEDORA


EDUCAÇÃO EMPREENDEDORA APRENDA AGORA PASSO A PASSO:



Nas próximas postagens teremos passo a passo como você criar o seu empreendedorismo: 




A formação do empreendedor não inclui receitas infalíveis. Cada empreendedor desenvolve sua própria receita de sucesso.


Para fazer um bom almoço não basta possuir um belo livro de receitas, nem dispor de ingredientes e equipamentos de qualidade. É preciso também ter talento e conhecimentos culinários.


Transformar uma ideia em um negócio é muito mais difícil. É preciso saber aonde se quer chegar e como chegar lá.



empreendedora

Se você esta planejando abrir um negócio, esse é o momento certo de pensar em tudo isso. Se você já abriu sua empresa e está em dificuldades, tenha persistência e aja com objetividade, pois sempre existe algum jeito de sair do sufoco!






Aprender nunca é demais. É assim que quem não sabe descobre como se faz.



Tinha tudo para dar certo: os ingredientes,  a receita, o tempo disponível, a dedicação e, ainda assim, seu empreendimento foi um fracasso completo. E ai você se pergunta: por que será que isso aconteceu? Onde foi que eu errei?






UM PAÍS DE EMPREENDEDORES


O brasileiro é empreendedor, mas tem de se preparar melhor







empreendedor









Veja as Pesquisas: 



Uma pesquisa internacional sobre empreendedorismo, que entrevistou 43.000 pessoas em 21 países, durante o ano de 2000, chegou á conclusão de que o Brasil é o país que apresenta a maior porcentagem de empreendedores. Eis o resultado:


Para cada oito brasileiros em idade adulta, um está abrindo ou pensando em abrir um negócio. Nos Estados Unidos (2º), a proporção é de 10 para um. Na Austrália (3º), são 12 para um.
Fonte: Revista Exame, edição 734 de 21 de fevereiro de 2001, página 18/ou original.


Com o apoio do SEBRAE (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), foi possível constatar que entre brasileiros de 18 a 64 anos, 36 em cada 100 tem um negócio ou uma atividade empresarial ou então, está no caminho. Uma vez que isso significa um terço da população, esse foi o melhor resultado do país desde que a pesquisa começou a ser realizada, em 2002.


Quando a pesquisa foca em outras faixas etárias, é possível identificar que a população de 25 a 34 anos é a mais ativa. Um total de 30,5% dessa população está montando sua empresa ou já possui uma com até 3 anos de atividade. Já entre as idades de 18 e 24, a taxa de empreendedores chega a 20,3%.

Novamente em 2019 foram realizadas novas pesquisas houve grande mudança para melhor onde encontramos dados de um novo levantamento na revista exame e também no site pequenas empresas e grandes negócios onde constatou-se que, 39% da população economicamente ativa é dona do seu próprio negócio.


Em uma nova pesquisa do site uol, encontramos que cresce o numero de pessoas que empreendem por oportunidade, não por necessidade, ou seja, as pessoas estão se conscientizando e aproveitando as oportunidades para criar seu próprio negócio. Em um estudo do programa de pesquisa Global Entrepreneurship Monitor (GEM) apontou um aumento do empreendedorismo por oportunidade no Brasil, em paralelo à queda nos novos negócios abertos por necessidade. Entre os novos empreendedores brasileiros, 61,8% disseram que abriram o próprio negócio por ter identificado uma oportunidade de mercado. Este é o melhor resultado desde 2014.


Queda em negócios por necessidade:


Foi verificado também, que apesar do grande número de empreendedores, no Brasil, a oportunidade de criar e manter um negócio por mais de três anos é relativamente baixa. Constatou-se isso em um outro estudo do SEBRAE, o Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas, de que a cada 100 empresas abertas no País, 35 não chegam ao final do primeiro ano de vida; 46 não sobrevivem ao segundo; e, 56 desaparecem no terceiro ano de vida.

clip_image002[4]


clip_image004[4]


clip_image006[4]






Porque isso acontece?


Pouca informação – eis o problema. Esta pesquisa mostrou também que, ao contrário do que muita gente pensa, o que leva uma empresa ao fechamento não são os impostos ou a necessidade de crédito, mas principalmente a falta de preparo, informação, planejamento e conhecimento específico sobre o negócio.

E também o que vem a causar o fechamento das empresas é a burocracia, porque no Brasil, empreendedores levam 79 dias, em média, para abrir uma empresa, contra um dia e meio nos EUA. Os custos para fechar uma empresa por aqui são, em média, 44% maiores do que os gastos para abrir um negócio. Esses e outros números levam o Brasil à 109ª posição no ranking de facilidade para abrir novos empreendimentos.

Mudanças nas burocracias:


Embora tudo isto tende a melhorar, pois em um estudo realizado pela  consultoria McKinsey,  em parceria com o evento Brazil at Silicon Valley se definiu o Brasil como "um país de empreendedores", os resultados do estudo evidenciam um crescente potencial do ecossistema empreendedor brasileiro e para isto se fez necessário mudanças na legislação trabalhista para facilitar o crescimento ainda maior em 2020 esperamos um aumento do empreendedorismo para micro e pequenas empresas e implantação de novas industrias e grandes empresas e também que haja melhora em investimentos no nosso pais, além das leis que já estão em andamento.

Investimentos:


Porque apesar dos números positivos, o estudo destaca que os investimentos de venture capital no país ainda são baixos em relação ao PIB. Em 2017, o percentual de investimentos em relação ao PIB foi de 0,04%. O número chega a 0,16% no Canadá e 0,43% nos Estados Unidos.

Startups


Nos últimos anos apareceram novas modalidades de empreendedores no qual se chama Startups (empresas emergente que tem como objetivo desenvolver ou aprimorar um modelo de negócio, preferencialmente escalável e repetível, ou seja, uma empresa recém-criada), onde vem crescendo o seu número no Brasil sendo que segundo uma pesquisa, há mais de 8 mil startups explorando novas tecnologias e modelos de negócios no país. No total, essas empresas empregam mais de 30 mil pessoas. Cerca de US$ 1 bilhão (R$ 3,85 bilhões) foi investido nas startups brasileiras em 2018. Já a quantidade de aportes realizados por fundos de venture para estas novas modalidades em capital quase quintuplicou em dois anos: foi de de US$ 110 milhões, no primeiro semestre de 2016, para US$ 546 milhões, no mesmo período de 2018.

Em 2018 também aconteceu o surgimento de oito primeiros unicórnios brasileiros sendo: 99, iFood, Gympass, Arco Educação, Ascenty, Nubank, Stone e PagSeguro. Com isto as startups têm contribuído mais nos setores de serviços (16,2%), telecomunicações (11%), fintechs (8,8%), saúde (8,2%) e varejo (7,5%). Para inovar, a maioria das startups (37%) utiliza recursos como análise de dados e big data maior parte dos hubs de inovação se concentra em sete estados: São Paulo, Paraná, Santa Catarina, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Pernambuco.

 Quem mais se destaca nestas modalidades:


Ainda constatou-se em pesquisa realizada pela CONAJE (Confederação Nacional de Jovens Empresários) que quem mais se destaca são os jovens onde que já existe cerca de 5 mil jovens empresários, de 18 a 39 anos, foi constatado ainda que microempreendedores são a maioria no país no qual em sua maioria estão investindo ou criando negócios e quase todos por oportunidades e não necessidade. Com um faturando até R$ 360 mil por ano, 35% desses empresários são mulheres, assim, fazendo dos homens a maioria com 65%.

No total, esses 5 mil jovens se encontram 49,5% na região sudeste, 21,9% na região sul, 15,6% na região nordeste, 4,3% na região norte e 8,8% na região centro-oeste. Quanto a faixa etária, com maior número de empresários é dos 26 aos 35 anos. Sendo que os jovens de 18 a 20 anos representam apenas 3%.
Quanto a formação básica a taxa desses microempresários que têm ensino superior completo chega a 73%, enquanto 9% possui apenas ensino médio.

Ainda na pesquisa, foi identificado que 57,9% estão na área de serviços e apenas 30,1% na área de comércio, trazendo a necessidade de sistemas de gestão. Isso, para que se possa ter um controle maior, sem correr o risco de erros e prejuízos para a empresa.

 Marketing Digital, multinível e home office:

Outras empresas também vêm se destacando nestes últimos anos é são as chamadas marketing digital e as de marketing multinível e junto os trabalhos relacionados ao home office, sendo assim também foi levantado pesquisa para estes últimos no qual podemos destacar: Marketing Digital está em alta e seu investimento deve crescer 12% até 2021. Esta alta se da por conta do número de pessoas que tem acesso à internet que vem crescendo dia após dia. Segundo uma pesquisa divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mais de 100 milhões de pessoas estão conectadas em todo o Brasil, somando mais de 63% dos domicílios do país. Um dos responsáveis por essa expansão são os celulares, presentes em 94,8% dos lares. Com este crescimento, faz se necessário ressaltar que facilita o trabalho de marketing tanto digital como o de multinivel. Os Estados Unidos são os líderes de mercado e o Brasil já ocupa a sexta posição.

Esse crescimento do marketing digital deve-se a diversos fatores, tais como a ascensão das mídias sociais, principalmente o Instagram, e a importância delas dentro das estratégias de marketing e comunicação desenvolvidas pelas empresas.

O Home office bateu recorde no Brasil em 2018, diz IBGE em 2019 continuou crescendo o home office sendo que em pesquisas realizadas pela Sobratt cerca de 45% das empresas já aderiram esta modalidade e 15% estão avaliando ou planejando a implementação de programas de home office.

Franquias: 


Outra prática de trabalho em crescimento são as franquias que chega a 7% empregando cerca de 1,2 milhão de pessoas.


Você também pode ter seu negócio em casa:


Com todos estes dados acreditamos que se você tem um sonho de empreender existem várias oportunidades e ideias que você pode aderir, se já tem algo em mente já coloque em prática, porque o momento é agora. Caso ainda não tenha uma boa ideia é o marketing digital com pouco investimento você pode com apenas seu celular trabalhar de onde estiver fazendo divulgações de seu trabalho faça um curso gps negócio online e aprenda como trabalhar na internet e redes sociais lembrando que hoje as empresas de venda estão investindo na rede social e modalidade de vendas online asssim você pode trabalhar de onde estiver e ter sua renda sem esforços.

Você pode dizer, mas eu não tenho como investir sabe se você guardar em um pequeno cofre de R$ 2,00 a R$ 3,00 por dia você conseguira comprar o seu curso e sabe o quanto você pode ter retorno?

Muito mais, porque você pode ganhar de R$ 50,00 a R$ 300,00 por dia somente fazendo divulgação de produtos.

Então depois de entender o quanto o empreendedorismo esta crescendo junto com suas novidades você agora aproveita e já investir em conhecimento e garante uma porta aberta e com esta forma de trabalho você irá montar o seu próprio negócio online, e já se dedicar a fazer as coisas de forma correta e nunca mais precisara procurar emprego na sua vida e nem tão pouco, sair de empresa em empresa colocando currículo e orando para participar de algum processo seletivo difícil e concorrido e passar humilhações para ganhar pouco. 

Venha agora para o seu negócio não deixe para depois.