PLANO DE NEGÓCIOS

PLANO DE NEGÓCIOS




Nenhuma empresa é uma ilha isolada. 





Qualquer empreendimento exige relacionamento, seja para ampliar negócios, melhorar o próprio desempenho ou captar recursos. em todos estes casos é importante que a sua empresa tenha um plano de negócios.






Nas próximas postagens você vai saber como elaborar o seu. 



Fonte Sebrae




OS 4 CS DO CRÉDITO

OS 4 Cs do Crédito



Os bancos usam critérios muito semelhantes para avaliar um crédito, baseados no que é conhecido como 4 Cs do crédito.



Caráter
A intenção de pagar. O objetivo é conhecer e analisar o histórico da empresa junto ao mercado. Isso é feito por meio de Fixa Cadastral que reúne detalhes sobre a identificação, pontualidade, existência ou não de restrições ao crédito, experiência em negócios, e a atuação na praça.



Capacidade
A habilidade de pagar. É a avaliação da habilidade do empresário em conduzir seus negócios. É feito a partir da visita que o representante do banco fará à sua empresa. Nesta visita, as informações que o banco busca são a estratégia empresarial, a  organização e o funcionamento da empresa; a capacidade dos dirigentes da empresa e o tempo de atividade.


Condições
São as informações sobre o setor em que a empresa está inserida e os fatores que podem influenciar esse setor. Por exemplo, medidas de política econômica; fenômenos naturais e imprevisíveis, e os riscos que esse mercado oferece. Para isso, o banco utiliza informações sobre o mercado e os produtos; o ambiente macroeconômico e setorial; o ambiente competitivo e dependência do governo.



Capital
Essa é a análise econômico-financeira da empresa. Ela é feita com base nos balanços patrimoniais das empresas ou no patrimoniais das empresas ou no patrimônio e renda dos proprietários. Basicamente são usados dois critérios: as análises do balanço e o projeto de viabilidade econômico-financeira.

SOLICITAÇÃO DE FINANCIAMENTO–TERCEIRA PARTE



SOLICITAÇÃO DE FINANCIAMENTO – TERCEIRA PARTE

Emprestimo






Com relação ao empréstimo, é necessário informar ao banco:





A natureza e finalidade do crédito;



As características das garantias, principalmente se elas são suficientes para cobrir o valor do crédito e se podem ser convertidas em recursos com facilidades;




O valor do empréstimo.



Fonte: Sebrae 




Continuação na próxima Postagem...




SOLICITAÇÃO DE FINANCIAMENTO–SEGUNDA PARTE



SOLICITAÇÃO DE FINANCIAMENTO–SEGUNDA PARTE

dividas-emprestimos-pessoais
Fonte: educação



Classificar o risco que o crédito representa, de forma consistente e verificável, é obrigação de todos os bancos, determinada pelo Banco Central, para avaliar os seguintes aspectos em relação a empresa que solicita o empréstimos e seus garantidores:




A situação econômico-financeira;


O grau de endividamento;



A capacidade de gerar resultados;



O fluxo de caixa da empresa;



A administração e a qualidade dos controles;


A pontualidade ou os atrasos nos pagamentos;


As contingências;



O setor de atividade econômica;



O limite de crédito.




SOLICITAÇÃO DE FINANCIAMENTO




Solicitação de Financiamento
Financiamento



Outra alternativa é recorrer a um empréstimo bancário para capital de giro para capital de giro. Seu fluxo de caixa  indica de quanto é sua necessidade de recursos para resolver o problema. Essa pode ser uma situação difícil, ou não. Tudo depende de como você estiver preparado para enfrentá-la. Saber exatamente o quanto precisa é a chave para você administrar o pagamento com recursos da empresa.


CRÉDITO: É mais do que dinheiro, é acima de tudo, uma relação de confiança. Quando você confia em alguém, você dá crédito a essa pessoa. Mas quando não confia… 


Ela terá de conquistar sua confiança para ganhar crédito com você. Com os bancos acontece a mesma coisa. Eles só irão emprestar recursos à sua empresa, se confiarem nela. 

Até porque a função original de um banco é captar recursos onde eles estão disponíveis, para aplicar onde eles são necessários financiando a produção. 

Ao concordar em emprestar esses recursos, o banco precisa ter certeza de que esse dinheiro vai retornar.



Continuar na próxima postagem…




SOLUÇÕES EXTERNAS

















NEGOCIAÇÃO COM FORNECEDOR





Se, apesar das medidas citadas, você ainda precisar de mais recursos, o primeiro passo é a negociação com seus fornecedores. Lembre-se o fornecedor é um importante parceiro de sua empresa. Coloque-se na posição em que ele está e tente ver o problema do ponto de vista dele.






Algumas recomendações:





Ø Procure manter um bom relacionamento e um bom histórico: Seus fornecedores são seus parceiros. A superação de situação difícil no passado pode determinar a conduta do fornecedor no futuro.





Ø Aja de forma honesta e objetiva: Mesmo que a situação seja difícil, converse com o fornecedor e exponha sua situação.



Ø Dê uma previsão de pagamento concreta ao fornecedor: É melhor ele saber que o pagamento vai atrasar uma semana, do que não saber “se ou quando” irá receber.










QUANDO FALTAM RECURSOS


Natue_Thermo Goji


Se a empresa estiver com falta de recursos existem algumas medidas que você pode tomar no ambiente interno da empresa. Antes de contrair uma dívida. Por exemplo:

  Melhorar o sistema de cobrança da empresa, controlando, de perto, as contas a receber;


 Reduzir o prazo de pagamento das vendas – ao tomar estas medidas, tenha cuidado de verificar o impacto em sua previsão de vendas;


Melhorar o desempenho dos estoques – você pode passar a comprar apenas o que é de extrema necessidade e que vende bem, com alto giro de capital;





 Programar o pagamento das compras em função dos recebimentos da empresa – procure casar a entrada de dinheiro das vendas com a saída de dinheiro das compras;

  Negociar prazos de pagamentos com seus fornecedores – solicite maiores prazos para as futuras compras;


Negociar prazos de pagamentos com seus fornecedores – solicite maiores prazos para as futuras compras;




  Vender ou negociar bens e fornecedores ociosos.



Fonte: Sebrae


SOLUÇÕES INTERNAS






Dentro da empresa, você pode se defrontar com duas situações relacionadas ao FLUXO DE CAIXA e que exigem uma solução interna.





QUANDO SOBRAM RECURSOS




É preciso pensar cuidadosamente, antes de decidir o que fazer. Eis algumas opções:


  1. Avaliar com muito critério a possibilidade de aumentar o nível de estoques  - essa é uma alternativa que só vale a pena se o custo das mercadorias for compensador e muito baixo o risco de não terem saída comercial;
  2. Ampliar os prazos de pagamento para os clientes, visando o aumento das vendas – não esqueça de verificar, cuidadosamente, a necessidade futura de capital de giro e sua capacidade para atender ao aumento de demanda dos seus clientes;
  3. Expandir a empresa, investindo em equipamentos e outros recursos – expandir o atendimento, aumentar a conveniência do cliente ou a oferta de produtos são iniciativas que exigem um planejamento cuidadoso para o bom funcionamento da empresa;
  4. Aplicar o dinheiro em um investimento seguro – ter uma aplicação em outros investimentos pode ser importante numa eventual necessidade.
Fonte: Sebrae





PROBLEMAS E SOLUÇÕES



O que fazer quando faltam recursos no seu fluxo de caixa? Como sair do vermelho? Como conseguir crédito para sua empresa? 






Veja alguns problemas e algumas alternativas que você  pode encontrar na área financeira.



ADMINISTRAÇÃO O FLUXO DE CAIXA



DICA:


Fazendo o acompanhamento das contas, por meio do FLUXO DE CAIXA, é possível perceber, com antecedência, se a empresa está trabalhando com folga ou muito apertada, isto é se vai haver falta ou sobra de dinheiro naquele período.

O fluxo de caixa é o resultado de tudo que você imagina que vai acontecer com sua empresa, comparado com que realmente aconteceu. O que você previu e o que se realizou.
PRINCIPAIS CAUSAS QUE LEVAM O FLUXO DE CAIXA A FICAR APERTADO
As causas que determinam a falta de recursos em um fluxo de caixa são, praticamente, as mesmas em empresas de todos os tamanhos, ramos e atividades. Veja:





  1. CUSTO FIXO ALTO: As despesas com pró-labore, aluguel e com todos os outros pagamentos necessários para manter a empresa funcionando.



  2.   VENDAS INSUFICIENTES: Se você fez um planejamento de vendas e o resultado não saiu como esperava.
  3. PRAZO DE VENDAS MUITO ALTO: Quando você dá cliente um prazo muito longo para o pagamento.



  4. ESTOQUE ACIMA DO NECESSÁRIO: Manter mercadoria parada é desperdício, é dinheiro desvalorizando no estoque.
  5. VENDAS QUE NÃO GERAM MARGEM SUFICIENTE: Comercializar produtos que possuem margem de contribuição pequena e dependem de um grande esforço para vender.

  6.  AQUISIÇÃO DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS: Se não tiver sido bem planejada a compra de novas máquinas isto pode deixar o seu caixa no vermelho.

    Informática